terça-feira, março 20, 2007


Margarida e a Rosa Vermelha

Ela não gostava de rosas. Ele não sabia. Ela nunca lhe dissera que não gostava de rosas. Ele nunca lhe confessara que farejava miragens de mulheres perfeitas no negro do asfalto. Ela detestava esse tipo de homem-cão. Mas nunca lho dissera.

Ele enviou-lhe um botão de rosa pelo correio. Express mail. Para chegar mais depressa.

No dia em que recebeu a encomenda, Margarida decidiu ir ao cinema.Vestiu uma gabardine negra, pôs a rosa na lapela e pintou os lábios de encarnado.Foi numa tarde de chuva e o brilho do asfalto alongava-lhe a silhueta alta e esguia.

Ao sair, Margarida deixou a rosa a florescer na lixeira. E ele ficou a lamber o chão que Margarida pisara.

2 comentários:

Inês Leitão disse...

espaço bonito, Srª Canela :)

canela_e_jasmim disse...

Obrigada, menina Inês! :)